UNLOCK: Anita Teófilo

Lifestyle

UNLOCK: Anita Teófilo

por22 Dez 2016 lmanifesto

11h, Lisboa.

Primeiro dia de Inverno. O sol invadia a rua e nada fazia crer que falávamos de uma gloriosa e agitada manhã de Dezembro, em plena véspera de Natal.

Tudo fazia antever um momento bem passado, na companhia de uma anfitriã em tudo especial e carismática.  Anita Teófilo, assistente de figurinos, abre as portas de sua casa para mais uma rubrica UNLOCK.

 

Texto: Margarida Marinho

Fotografia: Soraia do Carmo

Tocámos à campainha do último andar. Nos breves segundos de espera, todos os sentidos se encontram em estado de alerta. Rapidamente descodificamos o andar pesado e bamboleante do Lulu, o bulldog  da família. Porém, ao longe, quase em tom de back vocal, isolamos uma melodia familiar: Nick Cave marcava o compasso da nossa entrada. 

Anita dá-nos as boas-vindas com um sorriso doce e um olhar curioso, que espreita por baixo de uns óculos super cool, estilo cat eye

Entrámos no apartamento. A frescura, a irreverência, o sentido estético e o toque vintage da Anita moram aqui, não há dúvida. Cada canto e cada detalhe reflectem e revelam um pouco mais da personalidade do casal Anita e Rui.

Um reflexo das suas vivências pessoais, familiares,  profissionais, do seu núcleo de amigos e, claro, baseado num percurso totalmente criativo, o apartamento encontra-se pincelado de cor e detalhes de um valor inestimável. 

Fãs assumidos de arte, controlam e dedicam um "budget limitado" só para a categoria.

Uma paixão patente em cada esquina e sobre a qual lhe pedimos para falar mediante uma moderada pré-selecção. Foi difícil, mas depois de uma breve triagem, começámos por falar nos artistas Sick Boy e Maria Imaginário.

Ao fundo, o quadro que se encontra com um destaque especial na sala, um Vhils, foi um presente de casamento do "puto", como carinhosamente lhe chamam os amigos de longa data. 

"O Rui gosta muito de bonecos tipo Guerra das Estrelas e eu gosto muito de Lego. Adoro, sobretudo, os mais difíceis. Temos a casa dos Simpsons, demorei uma semana a montar e fi-lo enquanto estava grávida. Todos dias chegava a casa e montava um bocadinho. É relaxante e gosto de entender como se encaixam, como funcionam...Somos um bocado geeks. Também adoro objectos vintage que as pessoas me dão."

"Gosto de guardar fotografias antigas. Esta, por exemplo é do meu trisavô. Era marinheiro, trazia muitos serviços da China e a minha mãe acabou por me dar vários. Já não tenho onde os guardar!"

Mãe de primeira viagem e criativa por excelência, levou-nos a um dos seus mais recentes "projetos", o quarto da pequenina Maria Rita. 10 meses de puro amor, espelhados em cada pormenor.  

"Passou muito por uma conjugação de objectos e muitos já os tínhamos, se calhar porque somos um bocado infantis, não sei. Os Lego, por exemplo, e peças antigas com história, como este globo, que ainda tem as divisões antigas."

Recém-mamã, com uma veia criativa fora do comum, tem agora a oportunidade de construir, em família, uma fantasia de Natal.

“Penso no Natal de uma forma diferente, criando tradições só nossas. Adorava fazer músicas com a bebé para apresentar no Natal, cozinhar em conjunto, fazer teatrinhos.”

Filha de peixe sabe nadar, como tal, avizinham-se momentos mágicos e ternurentos repletos de irreverência, espontaneidade e amor. 

© 2017 L Manifesto

Este é o nosso Manifesto!

Um livre-trânsito para os behind-the-scene, os closets, as casas e espaços intimistas afastados dos olhares e do escrutínio do público.

ou

Ao submeter o meu email aceito receber notícias e informações sobre L’ Manifesto concordando com a Política de Privacidade.

Fechar